Ortodoxos voltam à Igreja Católica pela intercessão de Padre Pio

Salve Maria caros leitores (as),

Primeiramente peço desculpas pela escassez de postagens no blog, devido o fato de eu estar no seminário, mas prometo que sempre que possível, trarei postagens novas.

Hoje, trago uma pequena história de um milagre realizado pela intercessão de São Padre Pio de Pietrelcina.

Pax vobis!

* * * * * * * * * * * *

A pequena San Giovanni Rotondo da Romênia: toda uma comunidade ortodoxa se converte ao catolicismo após presenciar os milagres do santo de Pietrelcina


O grande místico do século XX, São Pio de Pietrelcina, morreu em 1968, mas vários milagres atribuídos à sua intercessão seguem sendo reportados ainda hoje. Como ele mesmo tinha profetizado, daria mais trabalho morto do que vivo.


Tome-se como exemplo um evento recente ocorrido na Romênia. Após um milagre extraordinário atribuído à intercessão do Padre Pio, o país – marcado por um triste passado comunista – assistiu à conversão de uma paróquia ortodoxa inteira à fé católica, de uma só vez.

A história começa em 2002, quando Lucrécia Tudor, mãe de Victor, um sacerdote ortodoxo, é diagnosticada com câncer de pulmão. Os médicos dizem que há muito pouco a fazer, pois notam a presença de metástase – quando se forma uma lesão tumoral em outro órgão. Na ocasião, dão a Lucrécia apenas alguns meses de vida.

Victor, então, decide pedir ajuda a seu irmão, Mariano, pintor especializado em iconografia que vive em Roma. Providencialmente, este consegue contatar um dos melhores especialistas na área, que se oferece para examinar sua mãe.

Para tristeza dos filhos, porém, o diagnóstico é o mesmo e a única intervenção possível são alguns remédios para mitigar as terríveis dores da doença. Assim, a fim de fazer um acompanhamento mais intenso, a mãe permanece em Roma. Enquanto Mariano trabalha no mosaico de uma igreja, Lucrécia visita o templo e admira as imagens.

Destas, uma chama particularmente a sua atenção. Era um ícone do Padre Pio. Impressionada, ela pergunta a seu filho quem ele é. Mariano conta-lhe brevemente sua história e, durante os dias seguintes, percebe que ela fica permanentemente sentada diante da imagem do santo de Pietrelcina.

O fruto daqueles momentos de silêncio diante do frade capuchinho se revela. Algumas semanas depois, Lucrécia e Mariano vão ao hospital para fazer um exame e, para surpresa dos médicos e deles mesmos, o tumor tinha desaparecido por completo.

É possível imaginar a forte impressão que este verdadeiro milagre deixou em toda a família Tudor. O feito mexeu não só com os familiares, mas também com a comunidade ortodoxa assistida por seu filho, Victor. "Todos a conheciam e sabiam que tinha ido à Itália para tentar uma intervenção cirúrgica, e que logo tinha voltado para casa curada, sem que nenhum médico a tivesse operado", explica o sacerdote.

A surpresa desperta o interesse de Victor, então padre da Igreja Ortodoxa, pelo santo que curou sua mãe. Ele começa a ler sobre a vida do frade capuchinho e, pouco a pouco, toda a sua paróquia passa a conhecê-lo e amá-lo. "Líamos tudo o que encontrávamos sobre ele, sua santidade nos conquistava", conta Victor.

A experiência religiosa daquelas pessoas começou a ir mais além, quando outros enfermos da paróquia também passaram a receber graças extraordinárias pelas mãos do Padre Pio. Começava a surgir um problema nesta comunidade: era um reduto de cristãos ortodoxos devotos... de um santo católico contemporâneo!

Por isso, o padre Victor e sua paróquia – com quase 350 pessoas – decidiram se fazer católicos. Embora enfrentassem múltiplas dificuldades – converter-se ao catolicismo numa terra predominantemente ortodoxa e com um passado socialista não é um processo nada tranquilo –, seguiram em frente e, hoje, são fiéis do rito greco-católico romeno.

Transformados pela experiência com o Padre Pio, a comunidade também erigiu uma igreja dedicada ao frade capuchinho. O templo, já praticamente construído, pode ser contado como mais um milagre do santo italiano. A princípio, eram os fiéis, ainda que de condições bem simples, quem colaboravam na construção. Enquanto o templo não ficava pronto, a Missa era celebrada na rua, mesmo debaixo de baixíssimas temperaturas de inverno. As dificuldades eram grandes e o padre Victor se preocupava... Mas, um dia, um bispo decidiu ajudar e pagou o terreno da igreja. A isto se seguiam eventos extraordinários, que pouco a pouco favoreciam a construção.

Hoje, além da igreja em honra a São Pio de Pietrelcina, o padre Victor e seus paroquianos mantêm um hospital que atende enfermos terminais, pessoas sem recursos e anciãos abandonados – quase uma "Casa do Alívio do Sofrimento", como existe em San Giovanni Rotondo, onde o Padre Pio passou maior parte de sua vida. As dificuldades financeiras neste reduto católico da Romênia são enormes, mas Victor conta com a intercessão do Padre Pio. Até aqui, ela não falhou.

____________
Salve Maria caros leitores,

Hoje completa 76 anos que o Eminentíssimo Cardeal Eugênio Pacelli foi eleito papa, passando a ser chamado de Sua Santidade Papa Pio XII. 

Tendo em vista a comemoração dessa data, postamos abaixo um pequeno vídeo (pouco mais de 4 minutos), que fora postado inicialmente no site Aleteia, no qual podemos ver qual o motivo que levou o Sr. Adolf Hitler a odiar o referido papa. Vejamos.



..:: Breves informações sobre o Papa Pio XII :..

Nome de nascimento: Eugenio Maria Giuseppe Giovanni Pacelli
Nascimento: 2 de março de 1876
Eleição como Papa: 2 de março de 1939
Entronização à Cátedra Petrina: 12 de março de 1939
Fim do Pontificado: 9 de outubro de 1958
Morte: 9 de outubro de 1958 (82 anos)

Brasão:

Lema: "OPVS IVSTITIÆ PAX"  - "A Paz é obra da Justiça"

____________
Fontes: Aleteia e WikiPedia

INDULGÊNCIAS: Fotos da Missa com Te Deum

Salve Maria caros leitores, 

Como prometido na primeira postagem segue abaixo as fotos da Missa (na forma extraordinária) com o cântico do Te Deum.

Tenham todos um feliz e abundantemente abençoado.

Conto com as orações de cada um.

Dominus vobiscum!

* * * * * * * * * * * *


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 





Canto do Te Deum logo após a Missa celebrada pelo Ravmº Pe Marcelo Tenório de Almeida, na Paróquia São Sebastião (Arquidiocese de Campo Grande-MS).




INDULGÊNCIAS: Te Deum...

Salve Maria caros leitores,

Hoje chegamos ao fim da nossa série de postagens sobre as Indulgências. 

Como prometido na primeira postagem, trago agora as normas, os textos e os vídeos da Indulgência que se praticada hoje (último dia do ano) será plenária; estou falando do Hino Te Deum.

Espero que seja útil para todos.


* * * * * * * * * * * *

Concede-se indulgência parcial ao fiel que recitar o hino Te Deum (A vós, ó Deus) em ação de graças, e será plenária, quando recitado em público no último dia do ano.

Segundo costume louvável, recomenda-se que se faça neste dia:

  1. Confessar-se (estar em estado de graça);
  2. Assistir (ouvir) a Missa Inteira e comungar (se o fiel assim o puder faze-lo);
  3. Cantar/recitar o Te Deum (de preferência junto com a assembleia ainda na Igreja ao término da Missa).


* * * * * * * * * * * *




Te Deum 
(A Vós, ó Deus)



Te Deum laudamus: * te Dominum confitemur.
Te æternum Patrem * omnis terra veneratur.
Tibi omnes angeli; *
tibi cæli et universæ potestates;
tibi cherubim et seraphim *
incessabili voce proclamant:
Sanctus, * Sanctus, * Sanctus, *
Dominus Deus Sabaoth.
Pleni sunt caeli et terra * maiestatis gloriæ tuæ.

Te gloriosus * Apostolorum chorus,
te prophetarum * laudabilis numerus,
te martyrum candidatos * laudat exercitus.
Te per orbem terrarum *
sancta confitetur Ecclesia,
Patrem * immensæ maiestatis:
Venerandum tuum verum * et unicum Filium;
Sanctum quoque * Paraclitum Spiritum.
Tu Rex gloriæ, * Christe.
Tu Patris * sempiternus es Filius.
Tu ad liberandum suscepturus hominem, *
non horruisti Virginis uterum.
Tu, devicto mortis aculeo, *
aperuisti credentibus regna cælorum.
Tu ad dexteram Dei sedes, * in gloria Patris.
Iudex crederis * esse venturus.
Te ergo quæsumus, tuis famulis subveni, *
quos pretioso sanguine redemisti.
Æterna fac cum sanctis tuis * in gloria numerari.

(Haec ultima pars hymni ad libitum omiti potest.)

Salvum fac populum tuum, Domine, *
et benedic hereditati tuæ.
Et rege eos, * et extolle illos usque in æternum.
Per singulos dies * benedicimus te;
et laudamus nomen tuum in sæculum, *
et in sæculum sæculi.
Dignare, Domine, die isto *
sine peccato nos custodire.
Miserere nostri Domine, *
miserere nostri.
Fiat misericordia tua, Domine, super nos, *
quemadmodum speravimus in te.
In te, Domine, speravi: *
non confundar in æternum.

Clique aqui, para ver o texto em Português.


* * * * * * * * * * * *









Sinto em informar que não achei nenhum vídeo da versão oficial do Te Deum em Português.

Contudo, a letra original pode ser adaptada à melodia do vídeo que segue, ou preferencialmente, pode ser usada uma das melodias do Te Deum em Latim mesmo (gregoriano).




INDULGÊNCIAS: obras e ações indulgenciadas - parte 7

Salve Maria caros leitores,

Segue abaixo a sétima, e última, parte das concessões de obras e orações indulgenciadas. para ver essas concessões em Latim, basta clicar aqui.


* * * * * * * * * * * *


61. Veni Creator (Ó vinde, Espirlto Criador)

Concede-se indulgência parcial ao fiel que recitar devotamente o hino Veni Creator (Ó vinde, Espírito Criador). A indulgência será plenária no dia primeiro de janeiro e na solenidade de Pentecostes, se o hino se recitar publicamente.

(Tradução oficial:)

Ó, vinde Espírito Criador,
as nossas almas visitai
e enchei os nossos corações
com vossos dons celestiais.

Vós sois chamado o Intercessor
do Deus excelso o dom sem par,
a fonte viva, o fogo, o amor,
a unção divina e salutar.

Sois doador dos sete dons,
e sais poder na mão do Pai,
por ele prometido a nós,
por nós seus feitos proclamai.

A nossa mente iluminai,
os corações enchei de amor,
nossa fraqueza encorajai,
qual força eterna e protetor.

Nosso inimigo repeli,
e concede i-nos vossa paz;
se pela graça nos guiais,
o mal deixamos para trás.

Ao Pai e ao Filho Salvador
por vós possamos conhecer.
Que procedeis do seu amor
fazei-nos sempre firmes crer.


62. Vinde, Espírito Santo

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor.

Indulgência parcial.


63. Via-sacra

Concede-se indulgência plenária ao fiel que fizer o exercício da via-sacra, piedosamente.

Com o piedoso exercício da via-sacra renova-se a memória das dores que sofreu o divino Redentor no caminho do pretório de Pilatos, onde foi condenado à morte, até ao monte Calvário, onde morreu na cruz para a nossa salvação.

Para ganhar a indulgência plenária, determina-se o seguinte:


  1. O piedoso exercício deve-se realizar diante elas estações da via-sacra, legitimamente eretas.
  2. Requerem-se catorze cruzes para erigir a via-sacra; junto com as cruzes, costuma-se colocar outras tantas imagens ou quadros que representam as estações de Jerusalém.
  3. Conforme o costume mais comum, o piedoso exercício consta de catorze leituras devotas, a que se acrescentam algumas orações vocais. Requer-se piedosa meditação só da Paixão e Morte do Senhor, sem ser necessária a consideração do mistério de cada estação.
  4. Exige-se o movimento de uma para a outra estação. Mas se a via-sacra se faz publicamente e não se pode fazer o movimento de todos os presentes ordenadamente, basta que o dirigente se mova para cada uma das estações, enquanto os outros ficam em seus lugares.
  5. Os legitimamente impedidos poderão ganhar a indulgência com uma piedosa leitura e meditação da Paixão e Morte do Senhor ao menos por algum tempo, por exemplo, um quarto de hora.
  6. Assemelham-se ao piedoso exercício da via-sacra, também quanto à aquisição da indulgência, outros piedosos exercícios, aprovados pela competente autoridade: neles se fará memória da Paixão e Morte do Senhor, determinando também catorze estações.
  7. Entre os orientais, onde não houver uso deste exercício, os Patriarcas poderão determinar, para lucrar esta indulgência, outro piedoso exercício em lembrança da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. 



64. Visitai, Senhor

Visitai, Senhor, esta casa, e afastai as ciladas do inimigo; nela habitem vossos santos Anjos, para nos guardar na paz, e a vossa bênção fique sempre conosco. Por Cristo, nosso Senhor. Amém. (Lit. Hor., compl. após vesp. de dom,)

Indulgência parcial.


65. Visita à igreja paroquial

Concede-se indulgência plenária ao fiel que com devoção visitar a igreja paroquial:


  • na festa do titular;
  • a 2 de agosto, em que ocorre a indulgência da "Porciúncula"


Uma e outra indulgência poderão alcançar-se no dia acima marcado ou noutro dia determinado pelo ordinário para utilidade dos fiéis.

Gozam das mesmas indulgências a igreja catedral e, se houver, a concatedral, ainda que não sejam paroquiais, e também as igrejas quase-paroquiais.

Tais indulgências já estão incluídas na const. apost. Indulgentiarum Doctrina, norma 15; aqui se satisfaz aos desejos que neste intervalo se apresentaram à Sagrada Penitenciaria.

Na piedosa visita, conforme a norma 16 da mesma const. apost., "recitam-se a oração dominical e o símbolo dos apóstolos" (Pai-nosso e Creio).


66. Visita à igreja ou altar no dia da dedicação

Concede-se indulgência plenária ao fiel que visitar a igreja ou o altar no próprio dia da dedicação e aí piedosamente rezar o Pai-nosso e o Creio.


67. Visita à igreja ou oratório na comemoração de todos os fiéis defuntos

Concede-se indulgência plenária, aplicável somente às almas do purgatório, aos fiéis que no dia da comemoração de todos os fiéis defuntos visitarem piedosamente uma igreja ou oratório.

Esta indulgência poderá alcançar-se no dia marcado ou, com consentimento do ordinário, no domingo antecedente ou subseqüente ou na solenidade de Todos os Santos.

Esta indulgência já está incluída na const. apost. Indulgentiarum Doctrina, norma 15; aqui se satisfaz aos desejos que neste intervalo se apresentaram à Sagrada Penitenciaria. Na piedosa visita, conforme a norma 16 da mesma const. apost.,"se recitam a oração dominical e o símbolo dos apóstolos: Pai-nosso e Creio".


68. Visita à igreja ou oratório de religiosos na festa do fundador

Concede-se indulgência plenária ao fiel que visitar piedosamente urna igreja ou oratório de religiosos na festa de seu fundador e aí rezar o Pai-nosso e o Creio.


69. Visita pastoral

Concede-se indulgência parcial ao fiel que visitar piedosamente uma igreja ou oratório, quando aí se faz a visita pastoral; e indulgência plenária, se nesse mesmo tempo assistir a uma função sagrada e presidida pelo visitador.


70. Renovação das promessas do batismo

Concede-se indulgência parcial ao fiel que renovar as promessas do batismo em qualquer fórmula de uso; e ganhará indulgência plenária, se o fizer na celebração da Vigília Pascal ou no aniversário de seu batismo.


____________